Portal Federal.png
Buscar

A dura realidade de uma catador do Rio Grande do Sul



Enquanto líderes dos Movimentos dos Catadores desfrutam do berço esplêndido das emendas parlamentares e dos convênios milionários recebidos devido a falta de conhecimento de cidadania dos catadores, os pobres catadores apodrecem nas ruas com uma verdadeira mão de obra escrava.

Trabalham o dia todo para receber uma renda de R$20,00 a R$30,00 por dia.


O Elo Social chega para mudar essa realidade, dando aos catadores a opção de exercerem uma profissão por meio de cursos de tapeçaria e restauração de móveis.

Queremos que eles tenham a vida digna que merecem.

116 visualizações0 comentário