top of page
Portal Federal.png
Buscar

A DIFÍCIL VIDA DE UM CATADOR - TRABALHO DESUMANO E POUCO RENTÁVEL


A importância da implantação do Sistema INER de resíduos sólidos em todo território nacional, e em especial a criação das COOPERINER's para amparar os que hoje são explorados pelo sistema “escravizador”.

Os catadores de matérias reutilizáveis e recicláveis desempenham um papel fundamental na implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), com destaque para a gestão integrada dos resíduos sólidos.


Sua atuação, em muitos casos realizada sob condições precárias de trabalho, se dá individualmente, de forma autônoma e dispersa nas ruas e em lixões, como também coletivamente, por meio da organização produtiva em cooperativas e associações.

Ressalte-se que, embora esta atividade tenha sido reconhecida pelo Ministérios do Trabalho e Emprego desde 2002, nenhum benefício foi trazido aos mesmos, a não ser as medidas “politiqueiras” de bolsas.

A PNRS atribui destaque à importância dos catadores na gestão integrada dos resíduos sólidos, estabelecendo como alguns de seus princípios o “reconhecimento do resíduo sólido reutilizável e reciclável como um bem econômico e de valor social, gerador de trabalho e renda e promotor de cidadania” e a “responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos”.

Além disso, a PNRS incentiva a criação e o desenvolvimento de cooperativas ou de outras formas de associação de catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis.

A esse respeito, destaca-se a Lei nº 11.445/2007, que estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico, na qual já havia sido estabelecida a contratação de cooperativas e associações de catadores de materiais recicláveis, por parte do titular dos serviços públicos de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, dispensável de licitação.

O fortalecimento da organização produtiva dos catadores em cooperativas e associações com base nos princípios da autogestão, da economia solidária e do acesso a oportunidades de trabalho decente representa, portanto, um passo fundamental para ampliar o leque de atuação desta categoria profissional na implementação da PNRS, em especial na cadeia produtiva da reciclagem, traduzindo-se em oportunidades de geração de renda e de negócios, dentre os quais, a comercialização em rede, a prestação de serviços, a logística reversa e a verticalização da produção.

232 visualizações5 comentários

5 comentários


Diuma Nunes
Diuma Nunes
28 de jul. de 2019

Mais estar perto de mudar essa história com o Grupo INER, Cooperiner e SINDETAP, convido a todos, para conhecer a história desses projetos.

Curtir

mcmpedrovinicius
24 de jul. de 2019

Elevando o nível social e financeiro dos catadores , consequentemente todo o projeto virá num crescente melhor ainda ...

Curtir

Heydi murça
Heydi murça
17 de jul. de 2019

É importante tranformar o invisível em visível... um catador é um grande profissional ambiental q precisa ser valorizado.

Curtir

Diuma Nunes
Diuma Nunes
11 de jul. de 2019

Esses Grupos vieram para fazer a diferença na vida desse povo tão sofridoa e marginalizados, agora poderão ter uma vida com muita dignidade

Curtir

Danielle Medeiros
Danielle Medeiros
10 de jul. de 2019

O Grupo INER com a Cooperiner e SINDETAP trarão mais dignidade, melhores condições de trabalho e qualificação profissional a essa classe batalhadora. Avante COOPERINER, Avante Brasil!

Curtir
bottom of page